Páginas

segunda-feira, 12 de junho de 2017

A tal da vulnerabilidade

As pessoas frias se envolvem nessa cúpula quase inquebrável. Aquele medo escroto de conhecer alguém e esse alguém destruir por inteiro. Se fecha para o mundo e para as pessoas. Só sabem sair chutando por ai, sem ver caras e corações afim de se defenderem, sem pensar nas consequências. Aquela frieza, que qualquer sentimento que possa sentir, já põe a frente aquele escudo que bloqueia sentimentos. 
Um dia você vai sair de casa e vai esquecer esse escudo. Vai esbarrar com alguém que vai te machucar muito e desejará nunca mais sair sem proteção. As pessoas frias nunca estão preparadas para conhecer alguém a fundo. Sabe por quê? Porque eles nunca estão dispostos a mergulhar a fundo em alguém. Estão sempre acostumados a ficarem no raso, molhando apenas os pés. E quando a pessoa com quem está, resolve atravessar e ir mais afundo até descobrirem que não sabem nadar. E você por já saber, nem se quer joga uma boia para salvá-lo, deixa morrer afogado na sua profundeza fria e impiedosa. 
Eu já fui fria. Um dia esqueci meu escudo e levei uma porrada. Mas, do que adiantava sair sempre protegida, se o meu interior era o mais frágil de todos os cristais? De nada adiantava. 
Certo dia resolvi sair novamente sem escudo, outra porrada levei, mas não desisti. 
Um dia de cada vez, fui saindo aos poucos sem escudo. Estava aprendendo a lidar com essa tal vulnerabilidade. Com os anos e os danos, aprendi que não perdemos por amar e ser quem realmente somos, perdemos por não ser, e perdem mais ainda quem não sabe receber e sentir. 
O fato é que não devemos mergulhar de cabeça sempre, entra aos poucos, molha as mãos, senti a temperatura quente ou fria, depois decida se quer por os dois pés ou só um, e por fim se vale pena se molhar inteira. Apesar de todos esses passos, espere que sempre após um mergulho, o tempo pode fechar e você pode sentir frio, assim como, pode haver um lindo sol pra ti esquentar. 

2 comentários:

  1. Parabéns pelos textos escreve com a alma, tem espírito livre, gostei do seu espaço, sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada poeta, é uma honra elogios vindo de você. Volte sempre! :)

      Excluir

Deixe seu comentário ai, a gente pode até tentar se entender.
Volte sempre =)